Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

domingo, 12 de agosto de 2012

A concha azul


Era uma concha azul
trazida pela maré
vinda dos mares do sul
pra debaixo do meu pé.

E eu pisei-a.
Magoei-me, pois então;
andar descalça na areia
também tem o seu senão...

Felipa Monteverde

6 comentários:

AnaCristina disse...

admiro MUITO o seu dom de escrever!

:-)

✿ chica disse...

Muito lindo e até conchas azuis podem machucar nossos pés... beijos,tudo de bom,chica

Ailime disse...

Lindo, Felipa.
Um poema com sabor a Verão, a céu azul, a mar,
Bj e bom domingo.

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema natural, lindo e sentido.Parabéns.

Maze Oliver disse...

Olá Felipa, passando para ler seus poemas e deixar um abraço!

Gracita disse...

Um poema suave e delicado. Lembro-nos que devemos ter cuidado pois nossos atos podem ferir e magoar. Um lindo final de semana. Beijos com afeto.
Gracita