Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Empresto as minhas mãos


(Dedicado a Florbela Espanca)

Empresto as minhas mãos
As minhas grossas mãos, tão calejadas
Àquela que sofreu desilusões
E cedo se contou entre as desgraçadas:
As sofredoras mulheres que cedem às paixões
E morrem por amor…

Empresto-lhe as mãos,
As mesmas que escreveram sonhos meus
Tão similares aos que li e eram seus,
Que li, reli e que conheço muito bem…

Empresto-lhe as mãos…
E as minhas pobres mãos passam a ser dela,
E já nem sei se serei eu ou se é ela
A que escreve nestas linhas de ninguém…

(Felipa Monteverde)

3 comentários:

ETERNA APAIXONADA disse...

Que maravilha de homenagem em forma de depoimento poético!
Total cumplicidade assim emociona!
Mais um lindo momento que partilha conosco!
Obrigada, minha querida amiga!
Beijos

DE MÃOS DADAS disse...

Que lindo
Obrigada gostei mesmo
Utilia
Que Nossa Senhora da Conceição te cubra de bencãos
Beijinhos
Utilia

Miguel Afonso disse...

Mãos grossas, calejadas
Por trabalhos duros mas honrados...
E a poesia torna-as delicadas,
Servindo-se dos seus belos predicados
Para dar vida a sonhos bem rimados
Que se escondiam num jardim de fadas...