Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Dia de anos

Com que então caiu na asneira
De fazer na quinta-feira
Vinte e seis anos! Que tolo!
Ainda se os desfizesse…
Mas fazê-los não parece
De quem tem muito miolo!

Não sei quem foi que me disse
Que fez a mesma tolice
Aqui o ano passado…
Agora o que vem, aposto,
Como lhe tomou o gosto,
Que faz o mesmo? Coitado!

Não faça tal; porque os anos
Que nos trazem? Desenganos
Que fazem a gente velho:
Faça outra coisa; que em suma
Não fazer coisa nenhuma,
Também lhe não aconselho.

Mas anos, não caia nessa!
Olhe que a gente começa
Às vezes por brincadeira,
Mas depois se se habitua,
Já não tem vontade sua,
E fá-los, queira ou não queira!

(João de Deus)

2 comentários:

Ailime disse...

Felipa,
Lindo este poema de João de Deus.
Neste mês de Fevereiro no meu local de trabalho há várias colegas que festejam o seu aniversário.
No dia 4 também uma das colegas mais jovens completou mais um ano de vida e lembrei-me deste poema.
Será que também foi o seu Aniversário?
Se assim foi os meus sinceros Parabéns e votos de muitas Felicidades!
Se não, desejo-lhe tudo de bom também.
Beijinhos.
Ailime

Felipa disse...

Querida amiga, este poema foi-me enviado por e-mail por uma pessoa que sabe que aprecio este poeta, e eu publiquei-o porque gostei, embora já o conhecesse há tempos.
O meu aniversário é em maio, mas obrigada na mesma
beijinhos e boa noite