Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Despertar

Havia a tua voz
havia o teu odor
mas o tempo e a distância levam tudo
e adormecem o amor.

Acorda, amor, acorda
chegou o tempo e à distância somos nós
frente a frente à mesma porta
sem coragem para a abrir
e os olhos já despertos pela dor...

Porque havia a tua voz
porque havia o teu odor
Mas o tempo e a distância levam tudo
e o que fica é raiva e fúria e amarga dor
em que adormece um grande amor.

Acorda, amor, acorda
abre os olhos, abre a porta
deixa-me entrar no teu silêncio
deixa-me abraçar a tua imagem
que o tempo e a distância levam tudo
levam tudo mas não levam esta dor.

E havia a tua voz
e havia o teu odor…
Abre a porta, abre a porta
foge ao tempo e à distância
e acorda, meu amor…

(Felipa Monteverde)

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo.
Continuo encantado com a tua poesia.
Beijos.

Gil Moura disse...

Queridos amigos

Depois de algum interregno nas visitas e comentários nos vossos blogues, por motivos de ordem pessoal, aqui estou de novo a visitar os vossos cantinhos como merecem.

Desejo um resto de domingo bem passado, e uma semana plena de paz, amor e felicidade.

Beijos e abraços

Mário

Anónimo disse...

Olá Felipa, são sempre belos os teus poemas e este é lindíssimo.
Bjinhos e até sempre
MCL

Sandro disse...

Ainda ontem escrevia no meu blog Comunidadeeeu que andamos abraçados às letras a pensar que são pessoas. Mas confesso que por vezes, mesmo sem conhecer as pessoas elas abraçam-nos com as suas palavras. Filipa continua. Gostei muito deste por isso copiei para o meu blog. Abraço.