Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

terça-feira, 9 de março de 2010

Há dias assim...



Há dias assim, que nos deixam sós
A alma vazia, a mágoa na voz.
Gastamos as mãos, tanto as apertamos…
Já não há palavras, foi de tanto as calarmos…

Há uma canção que não te cantei
Versos por rimar, poemas que nunca inventei…
Quem nos pôs assim a vida rasgada?
Quem te me levou roubou-me a alma
Mas de ti… não sabe nada…

Há dias assim, não há que esconder
Recear palavras, amar ou sofrer
Ocultar sentidos, fingir que não há…
Há dias perdidos entre cá e lá…

Sei que um dia saberás
Que a vida é uma só
Não volta atrás…

Há uma canção que não te cantei
Versos por rimar, poemas que nunca inventei…
Quem nos pôs assim a vida rasgada?
Quem te me levou roubou-me a alma
Mas de ti… não sabe nada…

(letra e música de Augusto Madureira, interpretação de Filipa Azevedo, canção vencedora do Festival RTP da Canção 2010 e que representará Portugal no Eurofestival da Canção, em Oslo (Noruega) no próximo mês de Maio)

4 comentários:

Gil Moura disse...

Olá, Felipa!

A Felipa Azevedo esteve soberba! Vi o festival da canção, e efectivamente foi a canção mais bem construida em todos os aspectos. Música, poema e interpretação. Mereceu ganhar.

Boa sorte Felipa!

Um beijinho para ti, e bom fim de semana!

Gil

Felipa disse...

Obrigada.

Copiei a letra de ouvido e deparei-me com um belo poema, espero ter sabido transmitir toda a carga emocional que ele tem, ao escrevê-lo desta forma...

Um abraço

FERNANDINHA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDA FELIPA... BELA POESIA, BELA MÚSICA TUDO PERFEITO... ADOREI!
ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

ETERNA APAIXONADA disse...

Felipa

Aqui também tem tudo para corações sensíveis!
Amei!
Mais um espaço que enriquece a minha alma!
Beijos
Helô Spitali